Friday, June 20, 2008

Ouvir as pessoas


Gosto!

Gosto de ouvir o que as pessoas tem a dizer.

Suas histórias, seus comentários, suas crenças...

Sentada no balcão da padaria que eu costumava ir, reencontro os atendentes tão simpáticos que me servem com a maior alegria. E contam o que passou nas suas vidas nesse tempo em que eu não apareci.

Bene me chamava de "mamuska" quando eu estava grávida. E quer saber do João. Se consola ao saber que João hoje é anjo que olha por nós. E me conta da gravidez da mulher dele. Me serve um mocaccino, e fica feliz em saber que logo estarei de volta do lado de cá e quem sabe, logo me chamará de "mamuska" outra vez.

Isaque capricha no meu pãozinho com manteiga na chapa sem prensar, e vem me contar do dia do casamento dele. E como ele perdeu a chave do quarto em que o vestido da noiva estava e teve que implorar pro chaveiro arrombar a porta porque senão já era o casamento... e com toda a correria ele chegou só dez minutos atrasado para a cerimônia. Me contou dos planos de ter filhos, pelos menos três. Depois recomendou um sanduiche fresquinho para eu levar para o Sr. Agnaldo.

Sr. Agnaldo, que nem é tão "senhor" assim, chegou na minha casa nova um hora antes do combinado para lixar o piso. Vai casar dia 12 com Luciana, professora e estudante de Pedagogia e ainda não entregou nenhum convite. Simplicidade em pessoa. Faz palestras na igreja da sua comunidade e no meio do pó que sobe da madeira e o barulho da lixadeira, canta, porque é compositor de diversos tipos de música de forró a gospel.

Pessoas lindas. Boas.

Conversa gostosa. Simples.

3 comments:

Fernanda MBem said...

Gosto muito de ouvir você, Paul dearest...
ou ler pelo menos.

Não é todo mundo que gosta de ouvir assim que nem você. Tem gente que só fala e não tá nem aí com o que ouve...

Muito bom aparecer por aqui...
Como sempre.


People like you make the world a brighter place.

Good.

Patricia Serenini said...

Puisé... eu tenho uma inveja danada de quem sabe ouvir.
Não q eu seja "surda" como pai daquela minha aluna, q aparentemente tem audição seletiva... mas é q, sabe... eu falo tanto!!!

Tanto!
Mas tanto!

Mas às vezes eu me lembro dos ensinamentos da Dona Aparecida, a mãe do Lilinho: "A gente tem DOIS ouvidos e UMA boca. Pra que será?".

Dona Aparecida sabe das coisas...
Ou "pra bom... meia...".

Que bom que é você, Paulinha.

fernando said...

AAAAAAAAAAAAadorei o texto.

Parabéns!

câmbio.
bj